cordas

prendem, no ringue
sustentam a escalada
salvam bandidos de ficção

parceira de fugas
verticais, deitadas
resguardam a vida
do trapezista
sustentam a roupa
a secar

permeiam o ar
suspiram, nos seus tremores
notas
pólen de amor
serenatas
marchas
cantigas
jingles
maldades

entrelaçadas
desejo entre palhas
desafino, desatino
cercania, laço
gado caído
mais um vencido
pelo sufoco

segura o barco
em nós inquebráveis
aperta o pescoço
em um vão insustentável

leveza

num cabo
de guerra

eu perco
para recair
soltar
para perder
e voar
nocauteado
sobre ti.

Anúncios

Sobre Rodolfo Araújo

Jornalista, amante do teatro, um (des)crente (in)constante.
Esse post foi publicado em poesia. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s